1. Gestão Urbana
  2. »
  3. 18.10.2014 oficinas
 

Oficinas de propostas do Zoneamento

A Prefeitura de São Paulo deu início no sábado, dia 18 de outubro de 2014, às oficinas de propostas da revisão participativa da Lei de Zoneamento. Foram realizados quatro encontros simultâneos nas subprefeituras da Sé, Santana, Capela do Socorro e Vila Prudente e Sapopemba. Ao todo, 360 pessoas estiveram presentes, somando 75 contribuições.

Com o objetivo de ampliar os mecanismos de obtenção de informações qualificadas e detalhadas sobre o processo participativo, a Prefeitura disponibilizou também a listas de presença, tabela de propostas organizadas em Excel e os mapas de propostas em KMZ, SHP e PDF, que possibilitam ao usuário identificar a localização exata das propostas recebidas.

Os novos dados permitem uma maior participação da sociedade junto ao governo municipal.

 

arquivos

Lista de propostas   PDF | ODS | XLS
Lista de presença     PDF | ODS | XLS

Mapa de propostas:

Capela do Socorro   KMZ | SHP | PDF
Santana                      KMZ | SHP | PDF
Sapopemba               KMZ | SHP | PDF
Sé                                 KMZ | SHP | PDF
Vila Prudente           KMZ | SHP | PDF
Mapa geral                KMZ | SHP

 

apresentacoes

 

 

18.10.2014 – Oficinas de propostas – Proposta de Revisão Participativa da Lei de Zoneamento

 

Para auxiliar a divulgação da abragência territorial das propostas, optamos por representá-las em pontos no mapa. Para executar esta tarefa, adotamos os seguintes procedimentos:

1. O georeferenciamento das propostas é representado por PONTOS gerados a partir de um processo de geocodificação. Este processo utilizou os endereços, pontos de referência e os quadrantes indicados pelos participantes em cada proposta;

2. Nos casos em que foram registradas mais de uma entrada (por exemplo: foi indicado na proposta endereço e quadrante), foi definida a seguinte hierarquia: a. ENDEREÇO, b. PONTO DE REFERÊNCIA; c. QUADRANTE;

3. Nos casos em que foram indicados mais de um endereço ou mais de um quadrante em uma mesma proposta, foi extraída uma localização central para o PONTO da proposta;

4. Nos casos em que não foi indicada nenhuma abrangência territorial para a proposta, utilizou-se para localização do PONTO, o centroide da respectiva subprefeitura;

Este método tem a finalidade de agilizar a divulgação das informações.

A avaliação da SMDU, irá trabalhar com as referências completas feitas pelo participante (nomes de ruas, ponto de referência, etc), que requerem mais tempo no processo de geocodificação.

OBS: Vale lembrar que para o caso do arquivo tipo “SHP”, devido a limitação de 250 caracteres por campo, a proposta deve ser identificada através do ID_PROPOSTA e consultada no banco ODT ou XLS para leitura do texto completo.