Arco Jurubatuba

 

id_arco_jurubatuba

A formação urbana do que ficou definido atualmente no PDE como “Arco Jurubatuba” teve início no século XVI, nos núcleos urbanos das vilas de Santo Amaro e Capela do Socorro. A construção da Represa de Guarapiranga trouxe à região a fama de balneário satélite de São Paulo nos anos 20, quando foi lançado o bairro-jardim de Interlagos. A concretização, na década de 60, do ambicioso projeto de geração hidroelétrica concebido pelo Engenheiro Billings foi o grande impulso para a urbanização das várzeas dos rios Jurubatuba e Guarapiranga, com intensivo desenvolvimento industrial associado principalmente às cadeias metalúrgica, química e farmacêutica. Nas décadas de 70 e 80 a região sofreu uma explosão populacional, com ocupação maciça das franjas dos mananciais e áreas de risco geológico por loteamentos irregulares e favelas.

acj_julianacipolletta_1

O Arco Jurubatuba, como a porção mais ao sul da Macroárea de Estruturação Metropolitana (MEM), caracteriza-se por grandes constrastes urbanos e de indicadores sociais, com a centralidade metropolitana de Santo Amaro e as áreas industriais de Campo Grande e Capela do Socorro concentrando as atividades econômicas de um arco populacional vulnerável de mais de um milhão de habitantes a sul e oeste.

Há um potencial expressivo de desenvolvimento urbano associado a múltiplas ações, como a recuperação e aproveitamento dos sistemas hídrico-ambientais, com especial importância à despoluição e regularização das áreas de mananciais, a melhoria dos sistemas de transporte e mobilidade urbana de modo mais amplo, o fortalecimento das centralidades locais a oeste, com maior cobertura de equipamentos e serviços públicos, bem como o desenvolvimento econômico associado à reestruturação das Zonas Predominantemente Industriais (ZPIs) com as Zonas de Desenvolvimento Econômico (ZDEs), estimulando a presença de toda a cadeia produtiva em uma mesma área, sem a expulsão das indústrias de grande porte. O incentivo à indústria de alta tecnologia e centros de pesquisa aplicada e a implantação de “backoffices” nas proximidades dessa indústria pode cumprir um importante papel para toda a região sul do município.

ARQUIVOS
Leitura Territorial do Arco Jurubatuba: PDF
Anexo: PDF

1ª Consulta Pública do PIU Arco Jurubatuba

A Prefeitura do Município de São Paulo – PMSP, por intermédio da São Paulo Urbanismo – SP-Urbanismo, tornou pública entre os dias 13 de junho e 03 de julho de 2017, consulta sobre o Programa de Interesse Público para a realização de um Projeto de Intervenção Urbana (PIU), no perímetro do Arco Jurubatuba – ACJ, com vistas a reunir e articular os estudos técnicos necessários a promover transformações estruturais orientadas para maior aproveitamento da terra urbana com o aumento das densidades construtivas e demográficas e implantação de novas atividades econômicas de abrangência metropolitana, em consonância com o Art. 2º do Decreto 56.901, de 29 de março de 2016, que dispõe sobre a elaboração de Projeto de Intervenção Urbana, nos termos do disposto no Art. 134 da Lei n° 16.050, de 31 de julho de 2014, Plano Diretor Estratégico – PDE.

A finalidade desta consulta foi submeter à avaliação da população, nos termos da Lei n° 16.050/2014 e do Decreto nº 56.901/2016, o programa de interesse público para possível elaboração de Projeto, tendo em vista as diretrizes urbanísticas já previstas em lei para o desenvolvimento da área em estudo, os objetivos do projeto, a viabilidade da transformação e os parâmetros urbanísticos de desenvolvimento urbano que compõem o programa de interesse público para a transformação da área. A consulta visou colher sugestões e críticas com vistas ao aperfeiçoamento do processo de planejamento e desenvolvimento do Projeto de Intervenção Urbana. Clique aqui para acessar a minuta.

Sistematização das contribuições: PDF | XLS
Contribuições consolidadas do processo de consulta pública do Projeto de Intervenção Urbana Arco Jurubatuba: PDF