Desenvolvimento do Projeto

 

1_sto_amaro_desenvolvimento-de-projeto_01

 

USO E OCUPAÇÃO DO SOLO

As diretrizes urbanísticas previstas em ambos os lados da avenida, incentivando a destinação de áreas para fruição pública, implantação de comércio no térreo e de fachadas ativas permitirão lotes permeáveis e de uso franqueado ao público, com passagens entre ruas e criação de galerias. Áreas remanescentes de desapropriações serão transformadas em pequenas praças públicas.

imagem 2
 

MOBILIDADE

Ao longo dos quase 3 km deste trecho, o projeto se estrutura em 3 faixas por sentido (uma para tráfego exclusivo de ônibus com 3,5 m de largura e duas para tráfego geral com 3 m de largura cada). Em todas as paradas haverá ultrapassagem livre e um canteiro central único com largura de 5,00m.

 

 

A rede cicloviária se desenvolverá pelas vias coletoras e locais dos bairros, com três travessias ao longo deste trecho da Avenida Santo Amaro. A implantação da malha cicloviária permite a interligação de equipamentos, espaços públicos, parques, escolas, áreas residenciais e de serviços.

2_ciclovias_2-4
 

AMBIENTE URBANO

O projeto tem como premissa principal considerar os percursos humanos em todas suas dimensões, tanto o passeio à pé, como o de bicicleta e no transporte coletivo, englobando as conexões entre os diferentes modais e o atendimento às necessidades de cada meio de locomoção: percursos sombreados, espaços de estar, lazer, descanso e alimentação ao longo dos percursos pedestrianizados, atendimento aos ciclistas através de cruzamentos seguros, paraciclos, serviços básicos e bicicletários, conforto e segurança no acesso e permanência nas paradas de ônibus.

imagem 8
Os passeios tem largura de variável entre 2, 50 e 5,0 m. As calçadas foram organizadas em fluxos e setores bem definidos. Serão dois setores, seguindo a Lei 15.442, uma faixa de serviço de 1,20cm (incluindo a guia) e uma faixa livre de circulação com no mínimo 1,20m. Na faixa de serviço estarão localizadas as arvoreiras, as rampas de acesso a lotes (veículos), as tampas de inspeção de redes, postes de iluminação, sinalização, elementos verticais diversos (tais como caixas de telefonia, etc.), papeleiras e paraciclos quando for o caso. Também neste alinhamento estarão as rampas para pedestre.
As redes de infraestrutura serão instaladas sob a faixa livre. Não haverá postes de rede elétrica aérea. As redes similares, por exemplo, as de lógica e telefonia, estarão agrupadas em banco de dutos. As caixas de inspeção e poços de visita estarão sempre na faixa de serviços. Além dos dutos para atender as redes existentes, deve ser previsto um grupo de dutos secos para minimizar impactos com expansões de rede de forma organizada. Para qualificar a disposição e a coleta de lixo, devem ser instaladas lixeiras coletivas, enterradas quando possível. Nas áreas de praças deverão ser instalados conjuntos de lixeiras para recicláveis.
A arborização da Avenida foi pensada de forma a complementar os corredores arbóreos existentes e incentivar a continuidade dos mesmos pelas áreas menos arborizadas, reforçando a conectividade entre os espaços verdes e permitindo a circulação e expansão da avifauna.

imagem 9
Serão cerca de 500 novas árvores plantadas ao longo das calçadas e 100 nas áreas verdes criadas. As espécies definidas são todas nativas e foram selecionadas para prover a avenida de flores durante todo o ano, e de cores variadas.

iamgem 15