6ª Conferência Municipal da Cidade de São Paulo

dfwqefwe

Com o auditório do Palácio das Convenções do Anhembi completamente lotado, foi aberta a 6ª Conferência Municipal das Cidades na sexta-feira (31/05). Mais de 9.500 pessoas se credenciaram, participando da maior já realizada no Brasil.

Coordenada pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano (SMDU), foram desenvolvidos trabalhos a partir do tema nacional: “Quem muda a cidade somos nós: Reforma Urbana Já!”. O congresso foi etapa preparatória da Conferência Estadual e Nacional das Cidades, além de ser a última atividade da primeira etapa do processo denominado “avaliação participativa”.

O objetivo da conferência é fomentar a gestão democrática das políticas de desenvolvimento urbano, sensibilizar e mobilizar a sociedade brasileira para o estabelecimento de agendas, metas e planos de ação para enfrentar os problemas existentes nas cidades brasileiras, propiciar a participação popular de diversos segmentos da sociedade para formulação de proposições e realização de avaliações sobre as formas de execução da Política e Sistema Nacional de Desenvolvimento Urbano e suas áreas estratégicas, entre outros.

Cobertura

Foram dois dias de evento. Na sexta ocorreram discussões em torno de dois grandes temas, o primeiro referente à formulação de um texto base nacional para definição das prioridades a serem apresentadas ao Ministério das Cidades e ao Governo do Estado. O segundo refere-se à formatação de diretrizes municipais que envolvem a Política Municipal de Desenvolvimento Urbano, a Revisão Participativa do Plano Diretor Estratégico e, por fim, a proposta de se criar um Conselho da Cidade.

No sábado, foi realizada a plenária final para definição do documento (contendo mais de 30 propostas com cinco destaques prioritários) que será apresentado na Conferência Estadual, e a eleição dos delegados que irão representar a cidade de São Paulo no evento. A participação de todos é estimulada já que, como disse Haddad, “você só se apropria da sua cidade se participar de seus momentos importantes de decisões”.

Leia a notícia com a cobertura completa.

Acesse a galeria com as imagens do evento.

Mais informações 

Texto Final Aprovado em Plenária 

Comissão Preparatória

Composição

Cronograma

Reuniões
Ata da Reunião da Comissão Preparatória da VI Conferência Municipal da Cidade de São Paulo (PDF)

Etapa Municipal

Decreto 53.731 – Convocação
Regimento Interno
Portaria N°051/2013 – SMDU.G – Institui a Comissão Preparatória da 6ª Conferência Municipal 
Manual da 6ª Conferencia Municipal da Cidade de São Paulo

Conferência Nacional 

Resolução Normativa nº 14 – ConCidades
Cronograma 5ª Conferência Nacional das Cidades
Site da Conferência Nacional das Cidades

Delegados

Lista dos delegados da 6ª Conferência Municipal da Cidade de São Paulo (PDF)
Lista dos delegados da 6ª Conferência Municipal da Cidade de São Paulo (XLS)

———

Atualizado em 19/07/13 às 13:08.




Comentários

  1. Desassorear todos os corregos e rios da região leste da cidade de São Paulo e proibir que a população lindeira a suas margens despejem agua servida e/ou esgoto no seu leito. Vale destacar que a maioria dos corregos e rios não tem como adentrar algum equipamento mecanico no seu leito. São focos de doenças. Contribuem para poluir o nosso cartão de visita que é o nosso rio
    Tiete, onde o governo do Estado despeja caminhões de dinheiro para retirar dejetos do seu leito.
    Mais um destaque. Estamos retirando agua para nosso consumo cada vez mais longe, portanto esta na hora de recuperar e manter nossas nascentes saudeaveis.

  2. Aline Pereira em disse:

    Gostaria que fosse discutido o aumento do valor das passagens do transporte público. Hoje ouvi de uma funcionária da EMTU que a passagem do Troleibus vai para 3,55. Sendo que no mínimo 100 pessoas viajam num onibus, então R$ 355,00 serão arrecadados para um consumo de díesel R$ 2,39 o litro. Entao, em cada viagem de ônibus a empresa lucra no mínimo R$ 300,00 para que os usuários sejam amassados e humilhados neste transporte desumado. Sendo assim, muitas pessoas deverão usar seus carros e isso irá gerar mais trânsito.

    • Gabriel em disse:

      Aline, sou ainda estudante, mas posso lhe afirmar que existem custos também de manutenção e os custos de obra e infraestrutura para a implantação da linha (que é repassada também no valor da passagem). Infelizmente o preço da passagem não depende apenas e do Governo, mas tambem das empresas associadas.

    • Concordo Aline, e publico e notório o descaso do Poder Publico para com os Usuários do transporte Urbano. Polo Gerador de Trafego não são os Empreendimentos de grande porte e sim a Prefeitura pois as Ruas são esburacadas, os transportes públicos são de péssima qualidade, os semáforos desregulados, não existe política de descentralização de horários, os impostos são sócios majoritário dos empresários. Tudo isto faz com que os valores das passagens subam e o desconforto no transporte aumente. Na periferia, quem sai de veiculo, demora 20 minutos para alcançar a Avenida principal, tamanha quantidade de veículos em horário de pico.

    • Sergio em disse:

      Bem Aline

      O litro do Diesel custa aprox R$ 2,20 e o onibus faz aprox 3 km /l portanto num percurso de 30 km são necessarios R$ 22,00 de diesel mas e necessario tambem comprar um onibus que custa R$ 200.000,00 ter uma garagem para estacionar uma oficina para consertar, trocar pneus oleo , freios e outras peças caras. E necessário fazer seguro contra vandalismo, acidentes e roubo, pagar IPVA, e não esquecer do motorista e cobrador que tem salario e encargos.

  3. rosemary dos santos silva em disse:

    A questão do edifícios abandonados é uma situação gravíssima, quase todos estão invadidos e, não só por sem tetos, há também traficantes, ladrões,……pessoas inescrupulosas que fazem deste problema social um meio de vida. A prova disso é o edifício Hoton que se encontra sendo explorado
    por um tal de associação dos sem teto que cobra R$ 100,00 reais para o sem teto invadir o prédio e garantir entre aspas, a compra de um apartamento na área da Sé…É VERGONHOSA tal situação….

    • Alberto Milani Jr em disse:

      Eu não conheço com profundidade o problema, mas, numa primeira visada, podemos dizer que há uma epidemia de invasões de prédios, principalmente, no centro velho. É grave, pois degrada o ambiente, e joga pela janela tanto dinheiro que já foi posto no centro velho na tentativa de revitalizá-lo. Além do que, é certo que as invasões são organizadas por grupos profissionais.É um tipo de crime que o estado tem sido leniente,

      • Gabriel em disse:

        Retirar simplesmente os sem teto de lá, não trará solução para ninguém e nada impede que outros voltem para o local. Estão feitos alguns estudos de viabilidade em edifícios no centro. Como se pode imaginar, não é de fácil implementação.

  4. Nós cidadãos moradores da periferia não suportamos mais a falta de bom senso governamental, precisamos com urgências remover os veículos dos pequenos comércios (funilarias, marcenarias, mecânicas..) estacionados nas paradas dos ônibus causando imensos engarrafamentos e atrasos para o trabalhador pobre; remover os lixos automotores abandonados nas ruas e sobre as calçadas; precisa de uma regulamentação para a grande aquisição de automóveis sem ter onde guardar; a CET deve auxiliar as escolas, creches e ubs na sinalização do local de parada de veículos, principalmente nas creches que atendem crianças de 0 a 3 anos, as vans e peruas não tem como estacionar porque tem sempre carros parados.
    Concordo plenamente com a Rosemary dos Santos Silva sobre a questão habitacional, sabemos que existe um grande déficit, porém, há muitos aproveitadores nesse seguimento, aqui na Av. Dep. Cantídio Sampaio, terreno da empresa Ítala Fio de Arame, existe comerciante que se apossou de vários lotes, isso é vergonhoso, as autoridades precisam se impor.
    Eu acredito nas autoridades, acho que estão sempre tentando melhorar as coisas, mesmo com esses imensos problemas, então vou dar minha contribuição mas uma vez.
    Abraços,
    Adelmo

  5. chiquinho barros em disse:

    REGULARIZAÇÃO EM PARCERIA COM CDHU IMÓVEIS COM CONTRATOS DE GAVETA ONDE HÁ PESSOAS COM 2 A 3 IMÓVEIS ,REGULARIZAÇÃO E URBANIZAÇÃO DE FAVELAS ,ONDE APARECERÁ INUMEROS IMOVEIS

  6. eduardo em disse:

    Bom dia!!!

    Concordo com todos os colegas nos seus comentários, contudo quero explanar o problema do trânsito sempre alegamos que é por causa do excesso de veículos na minha visão é totalmente erronia está afirmação, o grande problema é o motorista (condutor dos veículos) que são totalmente mau educados fazem conversões proibidas, fecham cruzamentos, atravessam seus veículos sem qualquer sinalização para adentrarem vias, andam em velocidade inferior a permitida a acham que são prudentes, e ainda, o pior sempre estão certos onde acabam surgindo as discussões e até as diz avenças, vias de fato e morte, gente o que falta é educação no geral em todos os seguimentos não adianta só cobrar os órgãos competentes se o maior causador de tudo é a população, obrigado pelo espaço.

    • Gabriel em disse:

      Eduardo, estudo técnica dos transportes e posso lhe afirmar que sim, o excesso de carros faz parte do problema.Em média há 1 carro para cada 2,4 habitantes em São Paulo. Houve ao passar das décadas pouco investimento no transporte urbano, com foco principal no tráfego de carros. Por ex., não há muitas ciclovias e poucas linhas de trem.

    • Eduardo, concordo plenamente com você. São Paulo esta se tornando cidade de povo sem educação, talvez em função da correria do dia à dia mas é fato que o pessoal fala no celular e esquece os deveres e obrigações como motorista, não dão passagem prioritária a quem esta na subida quando necessário e varias outras demonstrações de que não somente adianta ter o melhor veiculo mas também deveria ter a educação. Demonstram exatamente que pelos veículos, eles saíram da favela mas a favela não saiu de dentro deles.

  7. Camilla em disse:

    Sem dúvida é imprescindível que se pense numa VERDADEIRA revitalização do Centro da Cidade; é necessário que as coisas comecem a acontecer de fato, que deixem o papel e os escopos de projetos, e se concretizem. Intervenções na política habitacional que envolvam sobretudo as pessoas em situação de rua a população residente em áreas de risco são fundamentais. Revitalizar e reorganizar o Centro contribui significativamente para a melhora do trânsito na capital e otimiza o uso da infraestrutura de transportes, por exemplo. Incentivos para que empresas venham ocupar o Centro, empresas da iniciativa privada, pois atualmente apenas o setor público ocupa estes espaços em seus imóveis, muitos deles patrimônio devidamente tombado pelo Condephaat. Recuperar o Centro é VIDA para a cidade. Que bom que há um espaço para a discussão com a sociedade. Parabéns ao projeto.

    • Muito obrigado por participar, Camilla!
      É preciso participação de todos, para pensarmos em uma cidade mais democrática, com mais mobilidade, segurança e habitação para todos.
      O trabalho e minucioso e todo o processo terá acompanhamento por este portal. Navegando pelo site, você consegue entender todas as fases da revisão dos instrumentos de planejamento urbano.
      Além de poder participar de perto das discussões temáticas, oficinas de proposição e tudo mais. Veja a agenda e compareça! http://gestaourbana.prefeitura.sp.gov.br/evento/
      Abraço!

  8. Elaine em disse:

    Sobre transporte e acumulo de veículos cada vez fica pior a cada dia mais e mais carros são fabricados, e e´muito fácil adquirir outro automóvel para sair do rodizio, deveria fazer como lá fora a criação de hidrovias poi fica no meio da cidade este rio que só serve para descartes esta na cara e cada que passa nos fechamos os olhos e damos nosso para serem jogado na lixeira, onde ocorre sempre as enchentes pessoas perdem e sempre os menos favorecido. A culpa também é nossa o dialogo é tudo a população tem que participar porque o corpo a corpo é quando precisa dos votos depois todos somem.
    Rever as situações de aprovações de projetos pois é tudo muito demorado onde faz com que tornem moradias irregulares (rever o plano diretor).

    Ainda acho que tornar o rio navegável é uma das opções.

  9. Ola não estou vendo os textos de base discutidos durante a Conferência acrescidos dos destaques feitos e votados em plenária…. poderiam dizer onde podemos encontrar? obrigado

  10. Roberto Ribeiro em disse:

    Temos que discutir a cidade ver o que há de melhor propor mudanças,porque a cidade cresçeu com uma series de distorções,não se fala nas questo~es mais básicas,precisamos melhorarar o trânsito,a saúde,a segurança urgentimente,trazer médicos cubanos.espanhois e outros profissionais da saúde para esta cidade,são paulo precisa rever tudo:Enchentes plano diretor meio ambiente,lixo nas ruas,transporte precário,super lotados que não funcionam,construções irregulares,impactos sobre solo das grandes e inresponsáveis construções…e sobre tudo rápidamente construir moradias,que na ausência destas tem causado danos inreparaveis as famílias brasileiras,sem moradias não se pode pensar em nemhum projeto que possa construir ou salvar este país da mi´seria.Roberto Ribeiro.

  11. Agradeço, a oportunidade, de me expressar, pelos transtornos do dia, nos transporte coletivos: SPTRANS, CPTM, orgãos que administra os transportes coletivos na Capital de São Paulo.
    obs: iniciar de imediato projetos para esta cidade que mais cresce no mundo!

  12. alex sandro de santana em disse:

    Gostaria de relatar o meu desapontamento porque até o presado momento não recebi meu Certificado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *