1. Gestão Urbana
  2. »
  3. Notícias
  4. »
  5. SMDU anuncia novo cronograma...
 

19/03/2015

SMDU anuncia novo cronograma do processo participativo de revisão da lei de zoneamento

Os encontros por Subprefeitura serão realizados nos dias 11 e 18 de abril. A ideia é apresentar um balanço das propostas que foram incorporadas à minuta antes do envio do texto à Câmara Municipal



processo participativo do zoneamentoVisando atender às solicitações de aprofundamento do debate sobre a revisão da Lei de Parcelamento, Uso e Ocupação do Solo (LPUOS), a Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano (SMDU), vai realizar novos encontros para dialogar com a população sobre o que foi incorporado à minuta, antes do envio do texto à Câmara Municipal, a partir das contribuições trazidas pela sociedade.

Mais de 7 mil contribuições foram analisadas e sistematizadas durante todo processo participativo, que contou com 31 oficinas de propostas e 3 audiências públicas, bem como plataformas de participação online.

Além da apresentação do balanço dessas propostas, o objetivo dos encontros é tirar dúvidas dos participantes e dialogar sobre as contribuições feitas nas etapas anteriores.

Nessa nova etapa de revisão, os encontros promovidos pela SMDU serão realizados nos dias 11 e 18 de abril, conforme locais e horários descritos abaixo.

Com uma apresentação inicial, os participantes terão uma visão global do que está sendo proposto para o novo zoneamento da cidade. Depois, numa divisão por subprefeituras, os moradores terão a oportunidade de conhecer as mudanças propostas para a região específica onde vivem.

Confira abaixo os dias, locais e horários dos encontros e participe!

Serviço
Evento: Diálogos Macrorregionais por Subprefeitura da Revisão Participativa da Lei de Zoneamento.
Datas: 11 e 18 de abril de 2015
Período da manhã:
– Credenciamento: das 8h às 9h
– Diálogo: das 9h às 12h
Período da tarde:
– Credenciamento: das 13h30 às 14h30
– Diálogo: das 14h30 às 17h30

Diálogos Subprefeituras




Comentários

  1. anonimo em disse:

    Horario de quem nao trabalha…. o trabalhador esta longe da discussao! tem que delegar a movimentos, coletivos etc. o individuo perde sua forca. Mas ele pode se manifestar DOMINGO!

  2. João Pedro Rsoin em disse:

    Vocês estão realizando esta revisão da LUOS rápido demais, e nós , não estamos participando e nossas demandas não estão sendo atendidas.
    Cuidado. No ano que vem tem eleições.

    • Pedro Mendonça em disse:

      Acredito que o culpado da rapidez tenha sido o próprio processo participativo, mas do Plano Diretor. O texto do plano exige o envio da LPUOS à Câmara em 180 dias depois da publicação da lei. Já estamos a 233 dias da sua sanção e, portanto, a SMDU já está prolongando o período participativo…

    • imprensa em disse:

      Marta, o credenciamento é feito no próprio local uma hora antes do início das atividades. Ou seja, no período da manhã é das 8h às 9h e no tarde é das 13h30 às 14h30.

  3. João Maradei Jr. em disse:

    O que solicitamos nas audiências gerais em janeiro, período que muitos não estão na cidade, foi para que tivéssemos audiências públicas em cada Subprefeitura, analisando de uma forma mais local as questões. Assim como as propostas apresentadas, essa solicitação também foi solenemente ignorada… Pouca discussão, pouca participação popular e a ansiedade de se aprovar uma lei tão relevante como essa…

  4. FERNANDO MALANDRINO em disse:

    publicar antes das reuniões as propostas que foram incorporadas à minuta,
    não consigo publicar o comentário,oque acontece

  5. Jussara em disse:

    Na minha Região nada Mudou
    Para que serve essas reuniões?
    Em todas as oficinas foi informado que está errado a demarcação de ZEIS.
    Existe um Direito a propriedade que está sendo violado
    Cadê o estado de Direito que esse Governo “Democratico” disse existir?
    Absurdo!

  6. Arlindo Amaro dos santos em disse:

    O bairro do Ipiranga também divida com a Mooca e Vila Prudente, vemos que cada subprefeitura tem características Urbanísticas diferentes ou seja a Cidade de São e Diferente, basta cruzar uma ponte. Essa correria para aprovar uma nova Lei de Zoneamento, vai causar os mesmos transtornos que a Lei 13.885-04 que vemos na Cidade, Obras IRREGULARES EM TODA PARTE DE SÃO PAULO, depois vem os benéficos políticos e solta A LEI DE ANISTIA- cOMO JÁ SE DIZIA CERTO GOVERNATE – lei ora lei.

    • Luciana Duarte em disse:

      As pessoas que se sentem prejudicadas, não podem rotular os demais e criticar obras irregulares e a anistia.
      O Plano Diretor foi decretado em julho e já estabelecia 180 dias para votar a nova Lei de Zoneamento, ainda assim foi prorrogada a votação por mais 90 dias. Possuo uma obra, que passou por duas arquitetas. Confiei no trabalho das profissionais e fui recompensada com um embargo. Agora, só regularizo com a anistia e não tenho onde morar, estou de favor na casa da minha mãe. Então, antes de criticarem, pensem nos outros também. A última anistia foi promovida pela Marta, em 2003. A nova anistia depende da publicação da Lei de Zoneamento para ser lançada. A prefeitura é prudente, no sentido de estabelecer regras na Lei de Anistia, pagamos taxas, impostos e até outorga onerosa, ou seja, pagamos para morar no que é nosso. Então, não generalizem as obras irregulares em suas críticas!!! Tem pessoas que ainda querem agir corretamente.

  7. Como Paulista , nascido e crescido na cidade tenho certeza que não vou poder me aposentar e envelhecer nesta cidade.
    Mesmo com louvor de boca própria do Sr. Prefeito e festas comemorativas elaboradas pela prefeitura da cidade enaltecendo o processo desta revisão , constato que praticamente nenhum cidadão comum da minha comunidade , que chega em casa após trabalho honesto para descansar, participou ou está acompanhando o processo.
    Porque só quem esta cadastrado esta recebendo informações ? e os outros moradores do bairro ?
    Como legitimar e não criticar um processo tão importante onde só a minoria interessada em negócios na região participa ?
    Vim para Rua São Benedito recentemente após 40 anos de trabalho e em busca de uma zona residencial e seus benefícios , ao chegar conheci alguns vizinhos que como eu reformava sua antiga casa nova e constatei 1 ano depois que com a alteração proposta esta rua esta condenada.
    Lamentável…..Lamentável ….muito Lamentável….Esta administração entra para a história como uma das piores que tivemos além de engrossar as fileiras dos quem traíram seus eleitores.
    2016 está aí………

    • Kalili, todo o processo de revisão da Lei de Parcelamento, Uso e Ocupação do Solo vem sendo divulgado no Gestão Urbana e em nossas redes sociais, bem como no site da Prefeitura e em diversos veículos da mídia.

  8. Natalie Queiroz em disse:

    Mais uma vez haverá a reunião com a sociedade, mas será que seremos atendidos, ouvidos? Pedimos em todas as audiências públicas a exclusão da ZEIS das quadras da Fernandes Pinheiro, Tijuco Preto, Avenida Azevedo e Serra do Japi no Tatuapé – Subpreteitura da Mooca, mas vocês não mudaram no PD. Queremos que a ZEIS seja demarcada em espaço subutilizado, já fizemos abaixo assinado, pedidos via site, pelo jornal do bairro e pelas audiências públicas. como devemos nos manifestar para vocês nos ouvirem? Devemos fazer manifestações? fechar a Radial? Juntos no movimento contra ZEIS no Tatuapé. Não somos contra a ZEIS, mas elas devem ser demarcadas em espaços subutilizados e existem vários nessa região.Queremos respostas!!

    • João Antonio Marcatto em disse:

      A Rua Padre Estevão Pernet também está incluída neste erro absurdo. Subprefeito da Mooca acorde.

  9. Maria Augusta Natali em disse:

    A demarcação da ZEIS nas quadras Fernandes Pinheiro, Avenida Azevedo, Serra de Japi e Tijuco Preto no Tatuapé, subprefeitura da Mooca continuam como ZEIS, essas áreas não são subutilizadas como a legislação determina, já fizemos diversas solicitações e simplesmente somos ignorados, queremos respostas. A ZEIS deve ser demarcada em espaços subutilizados no bairro, como os terrenos da CONTROLAR que são ocupados pelos mosquitos da dengue. É um absurdo participarmos de tantas audiências, mas não há retorno. Movimento contra ZEIS no Tatuapé. Queremos respostas, cade o subprefeito da Mooca?

  10. Alonso Alves de Lima em disse:

    Minha esposa vive na nossa casa há 48 anos, o lote em questão (fruto de herança) mede 8 m 50 centímetros de frente. Em nosso quarteirão a maioria dos lotes (casas) medem 3 metros e 30 centímetros de frente. Se nosso lote pudesse ser dividido,ainda assim, ficaria maior que os dos vizinhos. Como há um impedimento legal para dividi-lo, pois ficaria menor que 5 metros, teremos que vendê-la, abandonando toda uma história de vida , laços afetivos, dentre outros, nossos filhos nasceram e cresceram nessa casa e além disso o nome da rua tem o nome do meu sogro em homenagem por ter sido um dos primeiros moradores da rua e o primeiro a falecer, por isso pergunto: Qual a lógica desse Plano Diretor? Fiz várias sugestões para que o artigo 39 fosse alterado, porém sem sucesso. Com a divisão do lote, ainda assim se harmonizaria com a vizinhança, por isso definitivamente não entendo qual a lógica.

  11. Marilene dos Santos em disse:

    Para mim não houve melhora alguma, pois no item 3 da minuta (comentada) do processo, acho um absurdo o sub-item que fala sobre…os pedidos de exclusão ou substituição de ZEIS 2, 3 e 5 foram alterados prontualmente somente quando localizadas distantes da oferta de transporte público coletivo e mediante compensação por outras áreas.
    Que pais é esse…. Trabalhei a vida toda para morar perto do metrô e agora a Prefeitura vem e me puni, passando o local para moradias de casas populares, quando tem muitos outros lugares no Tatuapé (lado Celso Garcia vazios, transformando o local para venda de drogas entre outras coisas maléficas. Também não pensaram no números de desempregos que isso vai gerar, pois a minha quadra Rua Padre Estevão Pernet, 340 na sua maioria são comércios. Estou decepcionada. Quero ver esses políticos que estão a favor dessa incompetência serem eleitos…..

  12. jorge alberto zimbarg em disse:

    estarei no dia 18, ainda com esperança que nossa quadra aqui no morumbi que é zer, porem incrustrada em zeis, se trasnforme em zeis 5, pois gostaria de ter os mesmos direitos dos membros da comunidade ( favela ) tem, aqui não posso vender, ninguem que a preço nenhum, aqui não posso locar pelo mesmo motivo, pago um iptu altissimo, e não posso nem usar como escritorio ou clinica, ou qualquer outra atividade, vejam por si só, contribuinte 1231780020-6, e 1231780021-4, rua clementine brenne 135, inclusive vou com mais 5 vizinhos com o mesmo pleito, so queremos ter o mesmo direito dos moradores da comunidade.

    agradeço

  13. João Antonio Marcatto em disse:

    Conforme já colocado em audiências públicas anteriores, e nada mudou, os quarteirões que compreendem as Ruas Serra do Japi, Av. Azevedo, Tijuco Preto, Padre Estevão Pernet, Fernandes Pinheiro na Vila Azevedo no Tatuapé, tem mais de 300 logradouros comerciais como clínicas, imobiliárias, restaurantes, bares, oficinas, posto de combustível, banco, material de construção, loja da Eletropaulo entre outros, ou como no meu caso que moro e trabalho no meu imóvel a mais de trinta anos. Não tem espaços subutilizados nesta região. Isso tem que ser revisto. Não é possível que ninguém da Prefeitura passe neste local para ver o que acontece. São muitos empregos nesta região. Precisamos e queremos uma resposta urgente dos senhores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *