1. Gestão Urbana
  2. »
  3. Notícias
  4. »
  5. Prefeitura lança consulta pública...
 

26/04/2018

Prefeitura lança consulta pública para o PIU Vila Leopoldina-Villa Lobos

A ferramenta participativa, que apresenta a Proposta de Ordenamento Urbanístico, a Modelagem Econômica e o Modelo de Gestão Democrática para o local, teve o prazo prorrogado até 25 de maio



A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Urbanismo e Licenciamento (SMUL) e a SP-Urbanismo, acaba de publicar consulta pública para o Projeto de Intervenção Urbana (PIU) Vila Leopoldina-Villa Lobos.

Disponível no Gestão Urbana inicialmente até 16 de maio, a ferramenta participativa, que apresenta a Proposta de Ordenamento Urbanístico, a Modelagem Econômica e o Modelo de Gestão Democrática para o local, ficará aberta até 25 de maio. Trata-se de uma oportunidade para o cidadão conhecer o que está sendo proposto e dar suas contribuições.

Essa é a segunda consulta pública sobre o PIU. A primeira, que ficou disponível entre os dias 21 de setembro e 14 de outubro de 2016, apresentou o Diagnóstico Sócio Territorial da área estudada e o Programa de Interesse Público. Com o fim do prazo da participação, 60 contribuições foram recebidas. Em 1º de novembro do mesmo ano, foi realizada uma audiência pública sobre o tema.

Clique aqui e contribua na consulta!

 

Saiba mais

Localizado na várzea da margem direita do Rio Pinheiros, no Distrito da Vila Leopoldina, junto à CEAGESP, à Ponte do Jaguaré e próximo dos Parques Cândido Portinari e Villa Lobos, o perímetro do Projeto de Intervenção Urbana Vila Leopoldina-Villa Lobos (PIU VL-VL) tem aproximadamente 492 mil m² e grande potencial de transformação.

No local há uma concentração de áreas passíveis de desenvolvimento em grandes glebas pertencentes a um conjunto relativamente reduzido de proprietários privados, o que deverá permitir uma maior agilidade na coordenação e implementação de intervenções de interesse público.

O presente projeto busca apresentar, entre outros ganhos, uma contribuição efetiva para solucionar as graves questões de precariedade habitacional de três comunidades situadas no perímetro do PIU: Da Linha, Do Nove e Cingapura Madeirite. Para isso, busca-se alterar os parâmetros urbanos definidos pela Lei de Zoneamento para o perímetro – com base nas novas disposições e incentivos introduzidos pelo Plano Diretor Estratégico –, a fim de potencializar os recursos, contrapartidas e compensações gerados pelo desenvolvimento privado.

O desejável reassentamento das famílias precariamente alojadas nessas áreas públicas, inadequadas para a ocupação, será potencialmente facilitada pela disponibilidade de diversas Zonas Especiais de Interesse Social (ZEIS) no entorno do perímetro proposto, que dispõe de malha de transporte de grande capacidade como definido pelo Plano Diretor. Em contrapartida ao desenvolvimento privado, a proposta de manifestação de interesse inclui a construção de 776 unidades habitacionais e equipamentos públicos, como uma UBS, CEI, centro de acolhimento e centro de capacitação profissional, além de alterações viárias para que haja segurança ao pedestre e aos ciclistas.

Em 26 de abril, a proposta do PIU Vila Leopoldina-Villa Lobos foi apresentada à Comissão Municipal de Política Urbana, formada por agentes públicos e cidadãos, que ouviram, comentaram e irão divulgar em suas bases para que haja maior contribuição à minuta ora em consulta pública.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Comentários

  1. Gislaine N Lima em disse:

    Não concordo com a implantação desse projeto, sou moradora da região e pagamos um IPTU altíssimo. A região já tem muitos problemas sociais e mesmo assim um número pequeno de pessoas paga a conta, seria mais prudente verificarem uma outra região para as pessoas com menos condições, pois infelizmente as mesmas não conseguiram pagar 10.000 reais por ano de IPTU, como nós. Agora se não for possível, que o prefeito ajuste nosso IPTU COMO ISENTO

  2. Luiz Ferreira em disse:

    Iniciativa absurda capitaneada e patrocinada pelo Grupo Votorantim que, por maio de ação higienista, procura transferir população de baixa renda (que reside atualmente nas imediações de suas construções) para um terreno contaminado!

  3. Abrão Domingos Alem Junior em disse:

    A destinação de áreas públicas, sejam de uso coletivo ou de órgãos públicos devem ser para a sociedade, o uso
    destas áreas de forma isolada por parte da sociedade e de forma com potencial de degradação iminente
    sem as condições que fomentem as atividades econômicas necessárias para coletividade, é necessário iniciar projetos
    de novas cidades, onde seja possível um desenvolvimento social, cultural, humano.
    Nas propostas apresentadas não identifico estas premissas atendidas.

    • Andre Ferreira em disse:

      Até que enfim existe modernização das leis para requalificação dos espaços urbanos. Esta é uma região que precisa de investimentos e melhorias. Espero que o prefeito consiga ter um IPTU mais justo para todos e incentivar uma moradia mais digna para os que vivem em comunidades.

  4. Patricia em disse:

    Projeto populista e irresponsável patrocinado pela Votorantim, empresa que apenas pretende eliminar as comunidades de seus terrenos e auferir grandes lucros com isso. A população da vila leopoldina já enfrenta diariamente problemas suficientes gerados pela negligência do Poder público, nao podendo ser onerada com mais este problema social.

  5. Andréa Flores em disse:

    Acho um absurdo este projeto, considerando o altíssimo IPTU que pagamos nesta região. Para mim o projeto visa resolver o problema da Votorantim