1. Gestão Urbana
  2. »
  3. Notícias
  4. »
  5. Projeto Ligue os Pontos...
 

18/07/2019

Projeto Ligue os Pontos e ONU buscam parceria para recuperação ambiental da zona sul rural de São Paulo

Objetivo é melhoria das condições ambientais em propriedades rurais, recuperação de nascentes e contenção de erosão e assoreamento de cursos d’água que abastecem as represas Billings e Guarapiranga



Na última quarta-feira (17), a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano (SMDU), por meio da equipe do Projeto Ligue os Pontos, recebeu representantes do Grupo de Trabalho sobre água do Pacto Global da ONU (Organização das Nações Unidas). Durante a reunião foi discutida parceria para recuperação ambiental da zona sul rural de São Paulo.

O principal objetivo do Pacto Global da ONU é colaborar para a construção de uma agenda de governança em água, engajando o setor privado na adoção de práticas sustentáveis para proteger a água. O Grupo atua em consonância com o objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) nº 6 da ONU, que é assegurar a disponibilidade e a gestão sustentável da água e do saneamento para todos até 2030.

Após a apresentação do Projeto Ligue os Pontos e da Rede Pacto Global no Brasil, foram identificadas no encontro diversas sinergias entre essas ações, visto que o projeto coordenado pela SMDU atua na zona rural sul da cidade, composta pelas principais bacias hidrográficas da Região Metropolitana de São Paulo – Guarapiranga e Billings que,  junto com a bacia Capivari-Monos, abastecem diariamente 5 milhões de pessoas.

Ligue os Pontos e ONU podem estar junto no desenvolvimento de ações para a implantação de saneamento básico em propriedades rurais da zona sul, recuperação de nascentes, contenção de erosão e assoreamento dos cursos d’água que abastecem as represas Billings e Guarapiranga, entre outros.

Participaram da reunião de ontem o coordenador do Grupo de Trabalho Água e Saneamento, Ricardo Terada, a pesquisadora da FAU/USP Renata Moreira, a assessora de gestão corporativa do Pacto Global da ONU no Brasil, Giuliana Moreira, o secretário adjunto da SMDU e coordenador do Projeto Ligue os Pontos, José Amaral Wagner Neto, a gestora do Projeto, Nicole Gobeth, e demais membros de sua equipe.

 

O que prevê o Pacto Global da ONU?

O Pacto Global é uma iniciativa que busca alinhar as estratégias e operações de empresas a dez princípios universais presentes nas Declarações e Convenções da ONU, que tratam de Direitos Humanos, Trabalho, Meio Ambiente e Anticorrupção.

As organizações que fazem parte do Pacto Global comprometem-se a seguir esses princípios no dia a dia de suas operações. Lançado em 2000 pelo então secretário-geral das Nações Unidas, Kofi Annan, hoje é a maior iniciativa de sustentabilidade corporativa do mundo, com mais de 13 mil membros espalhados por 160 países.

No Brasil a Rede Brasil do Pacto Global reúne 800 integrantes do setor empresarial brasileiro, das mais variadas áreas de atuação, como alimentos, energia, mineração,  química e petróleo. Atualmente a rede nacional é a terceira maior do mundo, tendo as suas atividades divididas em sete grupos de trabalho: ODS, que trabalha o engajamento das empresas aos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável; Água e Saneamento, na qual atuaria o Projeto Ligue os Pontos; Alimentos e Agricultura; Energia e Clima; Direitos Humanos e Trabalho; Anticorrupção; e Comissão de Engajamento e Comunicação.

Saiba mais aqui.

 

Projeto Ligue os Pontos

O projeto Ligue os Pontos da Prefeitura de São Paulo foi o vencedor do concurso “Mayors Challenge 2016” (Desafio dos Prefeitos), promovido pela Bloomberg Philantropies para cidades da América Latina e Caribe. Tem como missão promover a sustentabilidade socioambiental do território rural no sul de São Paulo através do fortalecimento da agricultura local. O objetivo é fortalecer a cadeia de valor da agricultura local  e a cadeia de valor de alimento, a partir de iniciativas dos setores público, privado  e sociedade civil.

Coordenado pela SMDU, o projeto tem como principais parceiros institucionais as secretarias municipais das Subprefeituras, Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Verde e Meio Ambiente, mantendo um diálogo permanente com agentes da região sul do município.

Saiba mais aqui.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Comentários

  1. ADJAIR BERTOCHI em disse:

    projetos muito positivo. e vale a pena todo o investimento tecnologico, logistico, e social. vejo com muito bons olhos. parabens.

  2. Gleice maria de Vasconcelos em disse:

    na proteção da água creio ser indispensável envolver o setor imobiliário que tem avançado sobre as zonas de proteção ambiental com o apoio da municipalidade através das compensações ambientais que nem sempre são concretizadas e na mesma proporção dos danos ambientais. Outra questão é intensificar a fiscalização para evitar as invasões em áreas das represas e reservatórios. com isso acredito que os resultados seriam mais concretos. Também proteger as áreas de proteção urbana que alimentam os lençóis subterrâneos lembrando das fontes aqui na Zona Sul cuja água vem do Aquifero Guarani.