1. Gestão Urbana
  2. »
  3. Arco Tietê – Apoio...
 

Apoio Urbano Norte

0

Benefícios para a cidade

 - Melhoria da mobilidade na zona norte promovendo a interligação dos bairros

 - Implantação de infraestrutura para o desenvolvimento de nova frente urbana

 - Criação de novos espaços públicos

 - Interligação de equipamentos públicos e parques
 

Extensão: 24,5 km

Área necessária: 841 mil m² de terreno (49,5% da linha de alta tensão)
 

O projeto do Apoio Urbano Norte foi elaborado de acordo com as estratégias do Plano Diretor Estratégico em relação à melhoria da mobilidade urbana, principalmente na orientação do crescimento da cidade nas proximidades do transporte público. A proposta partiu do objetivo de potencializar o aproveitamento do solo urbano, articulando o adensamento habitacional e de atividades urbanas à mobilidade, visando reequilibrar a distribuição entre moradia e emprego, e a qualificação dos espaços públicos.

Trata-se de uma ligação perimetral leste-norte-oeste, com 24,5 km de extensão, que conecta os bairros de Tatuapé, Vila Maria, Vila Guilherme, Santana, Casa Verde, Limão, Freguesia do Ó, Pirituba, São Domingos, Vila Jaguará e Vila Leopoldina. Esta ligação é  base de um corredor de transporte coletivo que se integra com os demais meios de transporte radiais que atendem a região (Linhas 8, 11 e 12 da CPTM, Linhas 1 e 3 do Metrô e corredores de ônibus Pirituba e Cachoeirinha da SPTrans). Compõem o projeto ciclovias que interligarão as várias ciclovias e ciclofaixas existentes na Zona Norte.

A via terá seção variável entre 39 e 48m, com três faixas veiculares por sentido (duas para o tráfego geral e uma exclusiva para ônibus) e um canteiro central arborizado. O corredor exclusivo para os ônibus estará junto ao canteiro central da via, garantindo assim a eficiência de sua operação. Nas 38 paradas do corredor haverá faixas adicionais para ultrapassagem dos coletivos e plataformas para embarque e desembarque. As ciclovias propostas serão bidirecionais segregadas junto aos passeios, de forma a permitir circulação segura. Os passeios com 5 metros de ambos os lados garantirão conforto aos pedestres e a dinâmica dos espaços públicos. Sob esses serão construídos dutos para implantação de uma rede de dados / telecomunicações.

Para a implantação dessa via, será necessária a construção de transposições sob a Rodovia Anhanguera e sobre as rodovias Bandeirantes e Dutra e sobre a linha 8 da CPTM, além de duas novas pontes sobre o rio Tietê. A via irá se desenvolver ora por vias existentes ora por vias a abrir e necessitará aproximadamente 841 mil m² de terreno, dos quais cerca de 49,5% correspondem à área atualmente ocupada pelas linhas de alta tensão. Também integram o projeto a construção de túneis sob os morros da Freguesia do Ó, da Casa Verde e do Limão. 


ESTRATÉGIAS DE MELHORAMENTOS | APOIOS URBANOS
ABERTURA DE VIAS

Conexões entre bairros através de bulevares que priorizam o transporte público, deslocamentos a pé e de bicicleta.  A abertura de viário propicia a criação de nova frente urbana e consolidação de centralidades lineares.

ACT_apoio-norte-desapropriacao

xx_02


ESTRATÉGIAS DE MELHORAMENTOS | APOIOS URBANOS
MELHORAMENTOS COM DESAPROPRIAÇÃO PARCIAL

Vias existentes de menor capacidades são redesenhadas para que novos modais sejam incorporados à rede. Desapropriações pontuais são necessárias para alargamento de vias.

ACT_apoio-norte-com-desapropriacao

MELHORAMENTOS-COM-DESAPROPRIAÇÃO-PARCIAL_txt


ESTRATÉGIAS DE MELHORAMENTOS | APOIOS URBANOS
MELHORAMENTOS SEM DESAPROPRIAÇÃO 

Vias existentes são adaptadas e integradas à rede de apoios urbanos proposta. O redesenho destas vistas garante a implantação dos corredores, acessibilidade e qualidade de passeios para deslocamentos a pé e a inclusão de ciclovias.

ACT_apoio-norte-sem-desapropriacao

MELHORAMENTOS-SEM-DESAPROPRIAÇÃO-


SEÇÃO TIPO COM PARADA

1_alt-1


SEÇÃO TIPO SEM PARADA

2_alt