1. Gestão Urbana
  2. »
  3. Um Plano para melhorar...
 

Um Plano para melhorar a mobilidade urbana

inf_mobilidade_960px

Veja como o Plano Diretor viabiliza essa estratégia

Transporte público incentivado
Ampliação e qualificação do sistema de transporte público coletivo, como os corredores de ônibus, a fim de promover acessibilidade às diferentes regiões da cidade e diminuir o tempo de deslocamentos cotidianos.

Verba do FUNDURB para mobilidade
Destinação mínima de 30% dos recursos do Fundo de Desenvolvimento Urbano (FUNDURB) para implantação de transporte público coletivo, sistema cicloviário e de circulação de pedestres.

Calçadas largas
Previsão de calçadas largas nas proximidades dos eixos de transporte, com largura mínima de 5 metros nos corredores de ônibus e de 3 metros nas áreas de influência.

Plano Municipal de Mobilidade Urbana
Definição de diretrizes e prazo para elaboração participativa do Plano, que contempla a análise das condições existentes, ações para ampliação, qualificação e integração dos sistemas de transporte, mecanismos de monitoramento e incentivo a ações de redução de impacto ambiental.

Novos sistemas de mobilidade
Reconhecimento de novos componentes do Sistema de Mobilidade, tais como logística e cargas, hidroviário e de compartilhamento de automóveis, para estruturação de uma matriz de deslocamentos articulada e eficiente.

 

Perguntas e Respostas

Quais desafios o PDE deve enfrentar para melhorar a mobilidade urbana?
Um dos principais desafios da mobilidade urbana em São Paulo é a ampliação e a qualificação do conjunto articulado de sistemas de mobilidade urbana (transporte coletivo, circulação de pedestres e ciclistas, sistema viário, hidroviário, aeroviário e de logística e cargas), o que resultaria numa rede de transportes mais equilibrada. Outro desafio é a redução da necessidade de longos deslocamentos diários da população por meio da aproximação entre emprego e moradia. Além disso, devem-se criar mecanismos que garantam a acessibilidade a todos e minimizem os impactos ambientais, como a emissão de gases poluentes na atmosfera.

Quais as principais estratégias para enfrentar esse desafio?
O PDE prioriza o transporte público coletivo e modos não motorizados de deslocamento, como a circulação de pedestres e ciclistas; vincula a política de desenvolvimento urbano à política de mobilidade, buscando orientar o crescimento da cidade nas proximidades do transporte público; prevê a ampliação, qualificação e integração dos sistemas de mobilidade; estabelece fontes de financiamento permanente; e define diretrizes e prazo para a elaboração participativa do Plano Municipal de Mobilidade.

O que é o Sistema de Transporte Público Coletivo? Como é tratado no PDE?
O Sistema de Transporte Público Coletivo é o conjunto de meios de transporte, infraestrutura e equipamentos que realizam o serviço de deslocamento de passageiros de modo acessível a toda a população. O PDE define ações prioritárias para esse sistema, tais como: implantação de novos corredores de ônibus, terminais, estações de transferência e conexões em áreas estratégicas, requalificação da rede existente, garantia de acessibilidade a pessoas com deficiência e mobilidade reduzida e atualização das formas de operação, incluindo a aplicação de novas tecnologias, e adoção de soluções ambientalmente sustentáveis.

Quais ações prioritárias para a circulação de pedestres e ciclistas?
A qualificação dos modos de transporte não motorizados, como a circulação de pedestres e ciclistas, é fundamental para fazer de São Paulo uma cidade mais humana. Para tanto, estão previstas ações prioritárias de ampliação e melhoria de calçadas, calçadões, faixas de pedestres, lombofaixas, passarelas e espaços de convivência, tudo para pedestres. Já para os ciclistas estão previstas ciclovias, ciclofaixas, ciclorrotas, bicicletários e mecanismos de compartilhamento de bicicletas. Para atingir esses objetivos, foram definidas fontes de recursos permanentes do FUNDURB.

Quais outros meios de transporte compõem o sistema de mobilidade?
A articulação entre os diferentes meios de transporte é um dos aspectos fundamentais para a constituição de uma rede de transportes equilibrada. Para isso, o PDE também reconhece os seguintes sistemas: logística e cargas, hidroviário e de infraestrutura aeroviária, além do compartilhamento de automóveis.

O Sistema de Logística e Cargas prevê ampliar a eficiência e reduzir os impactos urbanos e ambientais do fluxo de cargas produzidas no Município e também daquelas com origem em outras localidades, destinadas ao abastecimento de São Paulo. O Sistema Hidroviário realiza o transporte de cargas e passageiros em rios e represas, de forma a vincular o desenvolvimento urbano às suas margens.

Para a melhoria da circulação de aeronaves, o Sistema de Infraestrutura Aeroviária define a elaboração participativa de um plano para o conjunto de áreas, instalações e equipamentos urbanos, como helipontos, aeródromos e aeroportos. O compartilhamento de automóveis é o serviço de locação de veículos por curto espaço de tempo, com objetivo de reduzir o número de automóveis em circulação.

Quais as estratégias do PDE para financiar a política de mobilidade?
O PDE destina 30% dos recursos do FUNDURB para financiar exclusivamente a implantação do Sistema de Transporte Público Coletivo, Cicloviário e de Circulação de Pedestres. Por se tratar de um financiamento contínuo, esse recurso contribui para que as metas de curto, médio e longo prazo da política municipal de mobilidade urbana possam ser atingidas.

Qual o papel do Plano Municipal de Mobilidade Urbana?
Elaborado de forma participativa, o Plano deve orientar a política de mobilidade a partir da análise das condições de acessibilidade e mobilidade existentes, de ações para ampliação e aprimoramento do Sistema de Transporte Público Coletivo, de programa para o gerenciamento das vias, de ações para implementação de estacionamentos em áreas estratégicas da cidade, de diretrizes tarifárias, em especial para população de baixa renda, de ações para garantir a acessibilidade universal e a redução dos impactos ambientais, além de medidas para cada um dos sistemas de mobilidade urbana.

Clique aqui para ver a cartilha com todas as estratégias ilustradas do PDE.